skip to Main Content
Menu

AESUL apoia campanha contra dengue promovida pela Subprefeitura Santo Amaro

A Subprefeitura de Santo Amaro promove na próxima terça-feira, dia 05 de maio, às 10h30, lançamento de campanha de combate à dengue com palestra de esclarecimento ministrada por agentes da Covisa – Coordenação de Vigilância em Saúde. O evento que conta com o apoio de várias empresas e entidades, dentre elas a AESUL, é voltado para empresários, presidentes e diretores de associações e CDCs – Centros Desportivos Comunitários, todos agentes multiplicadores das informações na comunidade. Na oportunidade também será distribuído material informativo sobre os cuidados na prevenção dos focos do mosquito da dengue.

No dia 23 de abril, o Secretário-Adjunto de Saúde, Paulo Puccini, apresentou o sétimo balanço do ano sobre a situação da dengue. No período de 4 de janeiro a 11 de abril, 62.799 casos foram notificados e 20.764 foram confirmados autóctones (contraídos no Município). No mesmo período de 2014, a cidade teve 15.367 casos notificados e, destes, 7.126 autóctones confirmados. Cerca de 38,5% dos casos estão concentrados na Zona Norte de São Paulo. São números preocupantes que requer a atenção de toda população.

A Covisa considera que o aumento dos casos neste ano está associado ao calor, que acelera o desenvolvimento do mosquito e ao acúmulo de água limpa sem proteção, devido à crise de abastecimento dos últimos meses.

A Prefeitura reforçou o trabalho dos 2.500 agentes de zoonoses em toda cidade, com ações de visitas porta a porta, grupos de orientação e ações de combate nos locais de grande concentração de pessoas. Desde março, com apoio das Subprefeituras, foram realizadas em toda a cidade 171 operações Cata Bagulho, 202 “arrastões”, 181 ações de intensificação de distribuição de telas para caixas d’água e 106 limpezas de córrego. Tem ainda incluído outras ações de combate, como o apoio do exercito, reforço com a integração de equipes da Defesa Civil e a criação de comitês locais de prevenção nas Subprefeituras.

Os paulistanos devem se atentar à necessidade de ação individual preventiva para eliminar criadouros de mosquito Aedes aegypti. A visita de equipes é programada com base no mapeamento de pontos críticos, a partir dos casos confirmados. E uso de nebulização pesada (“fumacê”) só ocorre em última instância, emergencial, e funciona para eliminar mosquitos, sem efeito prático na eliminação de criadouros. Mais de cem mil domicílios já passaram por ação da nebulização, beneficiando mais de 350.000 pessoas.

Fonte: Prefeitura de São Paulo

Deixe uma resposta

Ir para cima