Central de Notícias

Notícias Notícias AESUL

Fase Notícias

Subprefeitura e Secretaria da Habitação ampliam ações na Vila Nascente no Grajaú
29  MARÇO  2012 

Subprefeitura e Secretaria da Habitação ampliam ações na Vila Nascente no Grajaú

 Continuando ações que começaram em 2010, parte de casas e barracos na beira do córrego que corta o bairro serão demolidos.  

Desde de 2010 a Secretaria Municipal de Habitação com o auxílio da Subprefeitura Capela do Socorro, vem realizando obras para urbanizar as margens do córrego da Vila Nascente. As obras fazem parte do Programa Mananciais, que visa dotar de infraestrutura bairros, ocupações e favelas instalados na região de proteção ambiental das represas Billings e Guarapiranga.  

Nesta fase de intervenções a Prefeitura inicia a demolição de cerca de 40 habitações que estão vazias após os moradores terem recebido auxílio-aluguel e deixarem o local. Obras na Vila Nascente vêm ocorrendo há pelo menos dois anos e mais de 100 famílias tiveram que deixar as margens do córrego que corta a Avenida Dona Belmira Marin, no Grajaú para permitirem a canalização de parte do leito e ainda o aprofundamento da calha em outros trechos. Além da precariedade das habitações, muitas casas do bairro não tinham condições de receber a coleta de esgoto, que acabava sendo despejado no córrego. 

As remoções de casas feitas nesta fase visam minimizar os problemas das enchentes que acontecem ali, especialmente no trecho próximo à Avenida Dona Belmira Marin. Hoje, as intervenções se dão do lado esquerdo da margem, mas devem ser ampliadas para a margem direita em alguns meses, já que a remoção das habitações atuais não deve resolver de forma definitiva as cheias e enchentes no local.  

Novos investimentos em Habitação projetam verba de quase R$ 3 bilhões na zona sul

Intervenções como as da Vila Nascente vêm acontecendo em dezenas de bairros no distrito do Grajaú, que recebeu nos últimos quatro anos quase R$ 500 milhões em investimentos em urbanizações. Hoje as projeções de investimentos na região das represas se aproximam dos R$ 3 bilhões que deverão ser destinados ao Programa Mananciais nos próximos anos. O objetivo é conseguir urbanizar a maioria dos loteamentos irregulares e favelas nas regiões produtoras de água e com isto captar quase 100% do esgoto domiciliar produzido, reduzindo a poluição nas represas e também os investimentos necessários para o tratamento da água que é consumida por mais de 6 milhões de pessoas, quando considerada a população de municípios vizinhos como os do ABC paulista que também são abastecidos pelo sistema Billings/Guarapiranga.

Eventos

Palestra "Estratégias e Soluções para a gestão das PMEs", 13/06/19

13/06/2019

Circuito de Negócios AESUL - 30/05/19

30/05/2019

Vídeos

Assine nossa Newsletter

Galeria