Central de Notícias

Notícias Notícias AESUL

Fase Notícias

Palestra da AESUL abordou dicas para superar o medo de falar em público
16  NOVEMBRO  2015 

Palestra da AESUL abordou dicas para superar o medo de falar em público

Ter uma boa oratória é uma das habilidades mais importantes e desejadas para avançar nos negócios

A AESUL ofereceu uma palestra gratuita com o tema “Como falar bem em público” ministrada pela empresária Laudicéia Machado no dia 12 de novembro. Expressar-se a uma plateia ou em uma reunião pode trazer ansiedade e preocupação, pois o resultado disso afetará o pensamento das pessoas sobre quem está lá na frente. A boa notícia é que, com a preparação e prática completa, o indivíduo pode superar o nervosismo e ter um desempenho excepcional. Quem prestigiou o encontro descobriu como fazer isso com algumas dicas.

Os principais tópicos abordados por Laudicéia, diretora e sócia da LBM Processos, empresa especializada na área corporativa de Recursos Humanos, foram: Conceito de Oratória; Como controlar o medo de falar em público; Gestos e Posturas - aprimorando a voz e a linguagem corporal; Tipos de pessoas; Postura Corporal e Técnicas de Dicção.

No tópico “Conceito de Oratória” comentou-se de que a oratória é a arte em palavra a qual se originou na Sicília no século V a.C e desenvolveu-se na Grécia (Atenas). A influência desta oralidade grega do século II chegou até Roma, principalmente pelo orador romano Cícero.

“Como controlar o medo de falar em público”? Neste ponto, Laudicéia citou como surge o receio de se expressar. Segundo estudiosos de comportamento humano, o medo constitui uma espécie de "gigante negro cheio de tentáculos" os quais escravizam a criatividade, interrompe o desenvolvimento e inibe a potencialidade.

Ela reforçou que cada indivíduo possui mais ou menos dois oradores desenvolvidos. O primeiro é o “orador real” que é verdadeiro retrato do comunicador, é a pessoa com defeitos e qualidades. O outro, é o “orador imaginário” o qual é a imagem que a pessoa pensa passar aos ouvintes. As pressões criam uma ideia distorcida no psicológico, gerando falta de confiança. E para superar isso, as dicas são: adquira confiança através da avaliação do seu interior e aproxime-se do orador real; quando a confiança começar a aparecer, pelo conhecimento e consistência dos aspectos positivos da sua comunicação, as qualidades latentes encontrarão caminho livre para o aperfeiçoamento; elimine vícios de linguagens, como “tipo assim” e “né”; Faça treinamento vocal; pratique, busque oportunidades para falar na frente dos outros; assista gravações dos seus discursos; redistribua o olhar; entre outras.

“Se ainda sentir medo antes de falar em público, mesmo quando estiver falando, não se preocupe, isto é normal e ocorre com quase todos os oradores, até mesmo com os experientes. Canalize o nervosismo e distribua-o entre as vibrações das emoções das palavras e torne a mensagem mais convincente. Fale com energia da verdade do coração”, comentou Laudicéia.

Dentro de “Gestos e Posturas - aprimorando a voz e a linguagem corporal” mencionou-se que o corpo fala o tempo todo, tanto que podemos fazer mais de 25 formas de expressão com a sobrancelha e pelo menos 2 mil com os olhos. O orador precisa trabalhar memória, observação, habilidade, teatralização e inspiração. É necessário equilibrar o ritmo da voz com a respiração. É importante manter o corpo ereto e ter um aperto de mão firme.

Já em “Tipos de Pessoas” apresentou-se três perfis: Visual - Aprende melhor olhando o material; Auditivo -  Assimila ouvindo, gosta de explicações mais detalhadas e precisa de exemplos e o Sinestésico - Precisa de estímulos corporais, movimento e afeto. A sugestão é criar conteúdo o qual atinja estas três descrições nas palestras e adequar-se ao público, pesquisando idade, tempo disponível, se as pessoas têm algum conhecimento do assunto, etc.

Para finalizar o encontro, Laudicéia trabalhou algumas técnicas de dicção e articulação através da cantiga O sapo não lava o pé. Ela pediu para substituir as vogais da versão original, por uma única vogal, juntamente com alguns gestos. Exemplo, com a vogal “A” ficou assim: A sapa na lava a pá, na lava parca na cá; Ala mara lá na lagaa, na lava a pá parca na cá; Mas cá chalá!. A ação rendeu risos e uma vontade de quero mais.

A Coah Patrícia Atui e Diretora de Cursos e Palestras da AESUL esteve presente e citou que esta palestra faz parte do programa 360º graus da AESUL, o qual tem o objetivo de capacitar os associados não somente nos negócios, mas também busca trabalhar vários aspectos do empresário nas questões pessoais.

Quem quiser participar de outros encontros sobre como falar em público, pode participar do Workshop de 04 horas com Laudicéia na sede da AESUL no dia 28 de novembro de 2015. Mais informações pelo telefone 11 5666-3831 ou via e-mail com os dados sac@aesul.com.br ou laudiceia@lbmprocessos.com.br.  

Eventos

Treinamento Mídias Sociais

01/08/2018

Workshop "O Líder na nova Economia"

24/07/2018

Mega Rodada de Negócios AESUL

20/07/2018

Vídeos

Assine nossa Newsletter

Galeria